(21) 99506-0947 (21) 2240-0079

Telepatia

TelepatiaO termo “telepatia” foi criado por Frederic William H. Myers em 1882.  Sua origem vem do grego tele (longínquo distante) e de pathia (sofrimento, sensação, participação).  É a comunicação entre duas pessoas sem utilizar os canais sensoriais conhecidos como cinco sentidos.

A Telepatia deve ser entendida como uma transmissão de vibrações, ondas psíquicas ou impressões à distância.

A Telepatia existe nos reinos da natureza: no vegetal, ela ocorre por vias sutis onde determinada planta reconhece o ambiente ao seu redor e que se comunicam entre si, bem como, com animais, insetos e com o homem.  No reino animal que possui sistema nervoso bem produzido, destaca-se a telepatia instintiva e a emocional. Nos animais domésticos pode ocorrer princípios de telepatia mental.  No  ser  humano, existem  sobras de telepatia animal, a telepatia  mental e pórticos (entradas) de telepatia superior, ou seja, pode existir telepatia em nível de alma. Quanto à comunicação recíproca de níveis elevados como o espiritual e o monádico, estas já não são consideradas telepatia, mas consolidação de  consciências já que a existência é constituída de vários níveis, onde a consciência única se manifesta em diferentes graus de vibração.

Estudo Parapsicológico

O estudo da  telepatia pela Parapsicologia, teve início em 1825, na França, no período chamado de hipnomagnetismo  (1779 a 1847).  A seriedade científica veio em 1876 (período científico de fenômenos paranormais que compreende  1870 a 1922)  por Willian F. Barrett através de carta a Associação Britânica onde foi revelado existir transmissão do pensamento independente do magnetismo como era chamado na época.

O pai da Parapsicologia Moderna, Dr. Joseph Banks Rhine efetuou mais de dois milhões de experimentos na Duke University de Durhan, U.S.A., provando cientificamente que a telepatia e a clarividência existem. Definiu a telepatia como uma transmissão de impressões diversas, sem que entrem em jogo os meios sensoriais comuns de comunicação.

Pesquisa do Parapsicólogo

A telepatia não é bem a transmissão de pensamentos como se comenta normalmente e sim a captação, por parte de um agente receptor,  de algum conteúdo subjetivo de um agente emissor.

A telepatia só existe quando determinado pensamento encontra-se na mente subjetiva, isto é, foi magnetizado através da fé, emoção ou certeza e que, por isso encontra-se no subconsciente.

Um dotado em telepatia não consegue ler um pensamento que está sendo elaborado por outra pessoa no instante em que está sendo pensado,  a não ser que por ocasião da elaboração do pensamento, ele vai ser impresso diretamente para o subconsciente devido à presença de fé, emoção ou certeza. Ex. O medo. Ninguém sente medo de mentirinha,  o medo por si só carrega a emoção.

Quando um dotado lê um pensamento sem que seja magnetizado, esse dotado não é um telepata e sim um hiperestésico.

O pesquisador percebeu que o grau de afinidade telepática foi observado entre parentes e amigos, entre hipnotizador e pessoa hipnotizada, entre gêmeos, entre pais e filhos. Observou, ainda, que entre mãe e filho ocorre a telepatia, sobretudo se o filho  é recém nascido e acorda de madrugada, a mãe desperta imediatamente para atendê-lo.

Entre casais a telepatia ocorre através de uma fina sintonia que existe entre o casal. Ex.Se o marido pensa em sair com  sua esposa após o expediente e que o ideal é que quando chegasse em casa, encontrasse a esposa pronta para sair. Ao chegar a casa encontra a esposa pronta. Sem saber que ela se arrumou porque captou o desejo dele e reagiu  automaticamente.

Como Ser Um Telepata?

Muitos procuram nosso Curso mostrando interesse em aflorar esse tão belo fenômeno acreditando que o dom não necessita de treinamento.

Outros pensam que a telepatia é obtida através de palavras mágicas, receitas em caldeirão, hipnose, etc. Chegam, às vezes, se decepcionar com a realidade.

Alguns acreditam que só tem o dom quem nasce com ele.

Existem aqueles que atribuem o fenômeno a espíritos como se sua psique – que eles chamam de “espírito” –  não tivesse capacidade para aflorar o fenômeno sem ajuda de outro “espírito”.

Aqueles que realmente se instruem através de um curso de Parapsicologia – sobre tudo se o Curso for de natureza metafísica, ou seja, sem nenhum comprometimento com dogmas religiosos e de dogmas de determinados conselhos regionais – sabem que a telepatia pré existe em todos nós e que precisa ser despertada, estabilizada e cuidadosamente desenvolvida.

O desejo de ser telepata é uma forte maneira de despertar esse fenômeno, mas não é suficiente.

É perfeitamente possível um grupo de pessoas transmitirem uma mensagem conjunta a uma única pessoa e vice-versa.

Acredita-se por aí que é necessário o transmissor concentrar-se durante longo tempo na mensagem a ser transmitida. Isso não passa de crendice. O tempo apropriado que o transmissor precisa ficar ativo ocorre numa fração de minuto. Uma concentração demorada pode atrapalhar e dificultar a realização da transmissão.

A telepatia atua a nível subconsciente tanto na mente de quem transmite quanto do receptor. O importante é o transmissor ter uma situação mais clara possível, do pensamento a ser transmitido.

Um bom meio de treinar é através do exercício de percepção extra-sensorial.

Advertências

Cabe esclarecer que ser telepata não é sinônimo de evolução ou de integridade moral. A maioria dos telepatas está com precária evolução e, são muitos os desprovidos de ética e moral, apresentando-se com arrogância, hostilidade e com ar de pessoa superior.  Muitas vezes o indivíduo diz-se espiritualizado e age totalmente de forma contrária.

A telepatia – como qualquer outro dom –  tem que somar e não diminuir na vida do indivíduo. Para isso, tem que ser controlada pelo mesmo. Quando descontrolada, seria melhor que nem existisse, pois ela gera histeria e outras patologias mais sérias, comprometendo o seu comportamento em relação às pessoas.

O dinheiro não salvará a humanidade do caos em que está mergulhada. A fome, pobreza, corrupção, poluição, guerra, não passam de efeitos de uma causa básica: A poluição da mente do indivíduo. É preciso ter consciência de que as causas de hoje produzem os efeitos de amanhã.

Publicado em: 10 de agosto de 2018 por

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe!

Sobre o Autor

Pedro Medeiros é Diretor Operacional do Núcleo de Ciências Herméticas Método Pedro Medeiros onde atua também como Professor e Hipnoterapeuta. Ver Mais

Leia Também

Todos os Artigos